Menu

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Parecer ser > ser

O que ela parece ter de bom para nos oferecer?

A minha faculdade costuma realizar testes cegos semestralmente. Nós alunos, quando alcançávamos um determinado semestre, tínhamos que escolher uma determinada categoria de produtos (ketchup, leite condensado, requeijão,...), pegávamos 10 produtos do tipo mas de marcas diferentes (heinz, hellmanns, quero,...), montávamos uma "barraquinha" com acompanhamento para que as pessoas presentes no evento pudessem experimentar, e realizávamos o teste cego com elas. Aqueles que visitavam as barraquinhas tinham que dizer qual era sua marca predileta do produto, e depois davam notas de 0 a 5 para o produto que estavam experimentando.

Resultado:
Todos dizia que Heinz era a marca predileta de ketchup, mas na hora do teste era percebida como a pior de todas, com pouquíssimas notas acima de 3.
Todos diziam que Leite Moça era a marca predileta de leite condensado, alguns diziam que era a única que dava pra comprar, mas o único leite condensado que recebeu notas 4 ou 5 foi Elege, depois fui pesquisar e soube que quem trabalha com doces realmente usa apenas essa marca por ter a maior aceitação.
Suco de maracujá a marca predileta era Del Vale, mas o sabor com melhor desempenho era Fazenda.
Isso acontecia com as mais de 50 categorias de produtos que estavam expostas ali. Achocolatados, chocolates, leite, isotônicos, água de coco, pipoca, pão de queijo, manteiga, maionese, etc...
Eu participei disso todos os anos e eram sempre as mesmas marcas top of mind que apareciam, e as mesmas marcas que venciam no ranking de sabor. Mudanças eram raríssimas.

Conclusão: Todas as pessoas compravam a marca. Elas eram tão fortemente influenciadas pela imagem, forma, embalagem que não eram capazes de distinguir qual era o produto que mais gostavam. Isso acontece em todos os âmbitos, mas principalmente no paladar.





Mas Burguês e se todos os produtos de uma categoria tiverem embalagens muito parecidas? Como o consumidor escolhe?
Preço. Certa vez encontrei uma pesquisa que relacionava centenas de notas atribuídas à vinhos, e quando apresentavam este como um vinho caro, ele acabava por estimular uma área do cérebro que fazia com que o paladar realmente mudasse. Confira o trecho abaixo:
"Durante a experiência, esses indivíduos degustaram 3 diferentes vinhos, todos produzidos com Cabernet Sauvignon, mas de diferentes faixas de preços: 5, 35 e 90 dólares, cada garrafa. O vinho que custava 5 dólares foi apresentado duas vezes, uma sinalizando seu preço real, e outra um preço fictício 9 vezes maior, de 45 dólares. O vinho que custava 90 dólares também foi degustado duas vezes, uma com seu preço real, e outra com um preço falso 9 vezes menor, de 10 dólares. Assim, foram 5 provas de vinhos, que os participantes acreditavam ser diferentes uns dos outros, e que acreditavam custar 5, 10, 35, 45 e 90 dólares.

Além disso, oito semanas depois, os participantes voltaram a degustar as 5 amostras novamente, dessa vez sem nenhuma identificação do preço de cada vinho.

E os resultados mostraram que, quanto maior o preço divulgado do vinho, maior é a sensação de prazer proporcionada por ele. Percebeu-se, nesses casos, maior fluxo sanguíneo e maior oxigenação em uma determinada área do cérebro, responsável por codificar sensações prazerosas.

Assim, o prazer físico sensorial não depende somente das propriedades intrínsecas daquilo que estamos degustando. E, obviamente, isso não vale somente para o consumo de vinho. É possível expandir essa teoria para todas as relações de consumo que estabelecemos."

Dito isso, podemos prosseguir com a linha de raciocínio.

A minha teoria é que, o cérebro possui algoritmos padronizados de escolha, então o que é aplicado ao escolher um produto pode ser aplicado ao escolher-se um humano. Se isso for verdade, o cérebro de uma mulher reagirá da mesma forma que descrita no processo do vinho caro ao entrar em contato com um homem rico. Ela realmente passará a gostar mais da presença dele estimulada mentalmente por poderosos hormônios.
Mas e se um homem parecer ser rico? Além de ter os devidos benefícios, parecer ser pode sair muito mais barato do que realmente ser. Lembrem-se dos exemplos do teste cego, as marcas/embalagens são muito mais efetivas do que a qualidade verdadeira do produto.

Acrescentando a reação do vinho ao aprendizado do teste cego, onde percebemos que processos visuais são de extrema importância para a experiência, podemos concluir que parecer ser é realmente mais importante do que ser.

Não adianta a pessoa ser extremamente inteligente se ela não parecer ser.
Não adianta a pessoa ser rica se ela não parecer ser.
Não adianta a pessoa ser a mais trabalhadora se ela não parecer ser.

Bom pessoal, encerro por aqui a post, não há porque alongar muito mais o post, acho que consegui sintetizar a ideia da minha opinião e espero ler as opiniões de vocês nos comentários!

Valeu,
Bons ganhos e um grande abraçoo!

19 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Realmente vc explanou tudo (sociedade em que vivemos).
    o jargão(adaptado) é verdadeiro: vc atrai aquilo que você é (na verdade o que você demonstra ser).
    o melhor exemplo de que isso é verdade são os políticos Brasileiros. você pode pegar na maioria dos lugares periferentos do bananal, Vereadores e até prefeitos (seria os cargos iniciais dentro do executivo) são aqueles que não tem conhecimento(técnico) algum, mas tem um poder social (ou demonstram ter) bem forte. e nisso vc pode aplicar talvez em todas as areas da sua vida.
    vivo em uma cidade que se vc não for "bem apresentável"(bem arrumado) é capaz de te não venderem qualquer tipo de produto nas lojas. (agora se o fulano chegar todo arrumado, com carrão, ostentando -com os contatos certos- é capaz do cara se infiltrar direto na high society local). melhor exemplo já foi dado aqui (roger na cidadezinha).

    as pessoas querem ter. houve uma inversão de valores, antigamente era necessário ser para ter. hoje é necessário ter para quem sabe poder ser. tudo agravado pela midia.

    disso vc tira até a explanação por que o Brasil é um dos paises que mais consome "coisas pirata". as pessoas querem mostrar que andam de tenis da moda, roupa de grife. Por que o preço dos carros é um absurdo.

    nisso acaba por resultar ainda mais no pensamento de "manada". é um efeito dominó.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anon,

      Ótimo argumento sobre os políticos, não tinha pensado neles para fazer o texto, mas você está certo, talvez aquelas mentes psicopáticas sejam as melhores para sintetizar a ideia que eu queria.

      O Roger fez um excelente trabalho. A experiencia social dele no interior se transformou em textos que servem como aulas quando o assunto é emular um estilo de vida.

      Valeu pela contribuição Anon,
      Bons ganhos e um grande abraçoo!

      Excluir
    2. Não querendo entrar em um lado "filosofo" do Consumismo, entretanto ..

      O Filme Figth Club aborda exatamente isto da sociedade decadente onde nós (jovens) influenciados pela mídia(e sem qualquer opinião pessoal) estamos cada vez atrás de um tal ""PERFEIÇÃO"", a não obtenção desse padrão de vida cria cada vez mais adultos frustrados

      Então o que resta a esmo é uma ""ostentação"" sem sentindo, anabolizantes, tatuagens, financiamento de carro á 60x, e por ai vai ...

      Excluir
  3. Por isso que muitas vezes dizem: "não basta ser, mas é preciso também parecer ser".

    Apenas discordo quanto a ser rico e parecer ser rico.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala FPI!

      Sobre o ser e parecer rico eu fiquei meio em cima do muro quando eu escrevi, mas o que eu queria dizer é mais ou menos a ideia dos vídeos abaixo:
      https://www.youtube.com/watch?v=0iyeUcFKRv4
      https://www.youtube.com/watch?v=qDdZHIuAzVQ

      Abraçoo!

      Excluir
    2. uashuahsa... Nesse aspecto, está com toda razão.
      É que apesar de estar na real, ainda creio que exista casamento e relacionamentos que valham a pena (ok, muita gente me censurará... mas é o que penso).

      Excluir
  4. Excelente post, venho pensando sobre isso já há um bom tempo. Parecer ser é tão importante quanto ser, por mais estúpido que isso seja, de um ponto de vista racional.

    ResponderExcluir
  5. Na faculdade cansei de fazer esses testes focais e achei resultados assim. Na época achava tudo o máximo.
    A vida toda vi claramente que parecer é melhor que ser nos diversos contextos sociais. Tenho um amigo que até tem como lema "viva como se fosse", ou seja, pareça ser o que deseja ser.

    ResponderExcluir
  6. A adoção da aparência pela essência é uma heurística programada pela natureza na mente humana...pensem: um leão rugindo parece perigoso? Se parece perigoso é porque É perigoso. Ocorre que a nossa programação mental, voltada para a sobrevivência nas savanas, não se aplica mais ao ambiente em que vivemos hoje...

    ResponderExcluir
  7. Indo pro ponto mulher, mulher gosta de ostentação (alem de serem atraídas pelo mal), se mulher importasse com dinheiro, seriam as experts de finanças, olhariam a conta bancaria, investimentos reais do caboclo, não oq ele Parece ter..quantas mulheres não viram amante de políticos, bandidos e afins, quando a casa cai fingem que não sabia de onde vinha o dinheiro ou fazem de vitimas (aliás, nossa sociedade é tão machista que nunca vai mulher de bandido preso, ela tb usufruiu dos frutos como o criminoso, eita sociedade e leis machistas)
    Enfim, elas não ligam pro dinheiro em si, da onde vem, como manter, como usar, só querem o benefício que o dinheiro potencialmente trará.
    Eu nunca curti parecer ser rico, me cagava e cago de medo de ser alvo de sequestro, golpistas e exploradores, perdia muito com as mulheres, mas podia andar em paz...digo isso pq, décadas atrás meu pai subiu e desceu no negócio dele, então ficamos com fama de falidos, fácil não era mas tb era exagero ser falido, kkkk, me matava com as pistoleiras, mas podia andar tranquilo na rua

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um amigo meu que é Rico vendeu o carro dele( comprou usado ) e comprou um 1.0 novo.

      BAR

      Excluir
  8. Pura verdade, principalmente em relação a relacionamentos ou principalmente em relação a conquista.
    Hoje tenho um patrimônio considerável, ganho bem para os padrões da minha cidade, tenho carro, mas não me dou tão bem com mulheres.
    Como falo hoje não basta ter, tem que demonstrar que tem, as vezes demonstrar aquilo que você não é.

    Abraços

    ResponderExcluir
  9. Onde trabalho tem um colega que é terceirizado, ganha em torno de 1.5k por mês.
    O cara tem iphone e só usa roupa de marca. O cara tem 26 anos e já largou 2 faculdades pela metade.
    No entanto ele disse que pega várias mulheres em balada. O cara malha e é forte. Diz pras mulheres que é formado, diz onde trabalha, mas diz que ocupa cargo de analista.
    É aquela questão, o cara parece ser classe média alta, mas mora mal e é peao.
    A minha visão sobre isso é que vc deve sim procurar ter uma uma aparência melhor, causar uma boa impressão. Mas eu considero que o mais importante é vc tentar ser.
    Ao invés de parecer ser rico, tente ficar rico 1°.
    Eu tento me vestir bem mas con roupa barata. Malho, cuido da alimentação, mantenho cabelo e barba bem cortados.
    Mas não gasto dinheiro com celular caro. Meu cel foi 600 reais e fez 2 anos em maio e não trocarei enquanto não parar de funcionar.
    Roupa é CeA, Riachuelo e lojas do centro.
    Em compensação tenho uma grana boa investida e minha renda passiva com fii's ultrapassou 2k por mês. Perdi o medo do desemprego. Apesar de ser servidor público, não considero a estabilidade como algo imutável e uma certeza, tudo pode mudar. Quero ter um alto padrão de vida, mas depois da segurança financeira. Aí poderei "ostentar", fazer dívidas no cartão de crédito. Meu cartão tem 18k de limite e pago em média 800 reais de parcelas. Poucas vezes passou de 1k, enquanto vejo colegas pagando 3 ou 4k de cartão, sem antes construir patrimônio.
    Meu carro é um siena que comprei zero em 2008. Vou tocar no final do ano e penso em comprar um corolla, mas não sei se estou disposto a pagar mais de 1k de parcela fora dá mais de 50k de entrada. Quando penso nisso fico em dúvida, penso em adiar para 2026.

    ResponderExcluir
  10. O problema é quando o cara acha que só o parecer ser já é suficiente

    ResponderExcluir
  11. É por isto que a maioria da galera 'ostentando' hoje é a mesma que esta na pindaíba arrumando formas de pagar a prestação.

    Tenho colegas que não tem bem algum, moram de aluguel, mas, andam de carro de 60K a 80K zero bala rsrs.

    E eu com meu carrinho velho e tranquilo ...

    Abraço

    ResponderExcluir
  12. Parabens pelo blog burguês. Passando para conhecer um pouco sua trajetória. Acabei de criar meu blog. Tamo junto rumo à independência financeira. Visita lá meu blog quando der. Forte abraço!

    ResponderExcluir
  13. Eu tinha um conhecido que é a personificação do parecer ser. Chegou ao ponto de alugar por um mês um flat num dos melhores pontos da cidade pra poder se gabar com as mulheres, depois que devolveu falava que estava em reforma. Eu conheci uma mulher que também conhecia esse cara, segundo ela só pela internet, e a impressão que ela tinha é que o cara era além de rico, algo completamente fora do padrão mesmo, quando na verdade o sujeito é técnico de um tribunal, mora com os pais e tem inúmeros empréstimos consignados contraídos, provavelmente com patrimônio líquido negativo.

    ResponderExcluir
  14. Caro Burgues, excelente post!! Meu chefe vive dizendo: "Não basta ser, tem que parecer". Tenho um cargo bom em minha empresa, mas na última avaliação de desempenho que tive com meu chefe anterior ele me disse: "sei que você faz muito, mas precisa mudar a percepção das outras pessoas, ser mais protagonista". Ou seja, só resultados não bastam.
    Coloquei meu blog no ar esses dias. Se puder faça uma visita e me adicione em sua lista de blogs.
    Abraço.

    ResponderExcluir