Menu

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

A Arte de Subornar


O suborno é um dos pilares para quem quer viver decentemente como um burguês. O propósito, obviamente, é colocar a vida no modo fácil e conseguir um bom retorno sobre seu investimento. Aqueles que se acham no direito de não subornar ninguém, sempre vão gastar menos, porém também receberão menos e jamais conseguirão chegar perto do potencial estilo de vida de um burguês de verdade. A arte de subornar consiste em fazer com que não pareça ser um suborno. As pessoas não gostam de ser compradas. Por este motivo, feriados e datas comemorativas são as melhores épocas para subornar.

Quando estiver subornando alguém, você deve sempre ser sutil. Jamais faça um show com esse tipo de atitude, essa inclusive é a diferença entre subornar e dar gorjeta (quando você está em um restaurante ou bar bem acompanhado você na realidade quer que a sua companhia veja o quão generoso você é - no brasil isso é mais raro, ainda que funcione, mas quem já teve experiência no exterior sabe como isso é eficiente). Isso é realmente importante, suborne apenas se estiver "sozinho", afastado de suas companhias, ou em um bom local que não dará na cara, caso o contrário seu retorno sobre o investimento pode não ser tão bom quanto espera. Lembre-se sempre de um dos princípios mais importantes de todo o burguês: lucrar no longo prazo. Se você não for mais naquele lugar, não há porque investir. Outro ponto importante, é o que você usará para subornar, cada grupo tem suas peculiaridades e cabe a você sacar qual é o melhor custo-benefício. - Mas é claro que vou ajudar vocês com um pequeno guia básico pra que tenham um norte:

1) Garçons e bartenders: alguns anos atrás eu provavelmente colocaria motoristas em primeiro lugar, mas agora, graças ao Uber, podemos enviar carros para quem quisermos com poucos cliques e preço decente. Isso nos leva ao novo primeiro lugar. Se você quiser falar sobre negócios, sair em um encontro com uma mulher nota 9+ ou simplesmente solidificar um bom contato, você vai precisar levar essa pessoa para um bom restaurante. Em meio a juízes, políticos, empresários e outras tantas pessoas importantes, um burguês de peso como nós pode facilmente parecer pequeno em um lugar desses, isso é claro, se ele não conhecer a arte de subornar. Daí a importância de subornar os garçons e bartenders. Eu particularmente gosto de dar pra eles um isqueiro de qualidade, pode ser um Zippo. É uma boa escolha mesmo que ele não fume, pois se for um garçom ou bartender que valha seu peso, ele com certeza se prontificará para acender o cigarro dos clientes, e como são trabalhadores ocupados e sem tempo para comprarem um isqueiro decente, são forçados a utilizarem bics, que definitivamente reduzem sua gorjeta. Este suborno pagará bons dividendos quando você precisar da melhor mesa na adega da Veridiana, e certamente vai ajudar com a boa vontade também.

2) Porteiros: Só suborne porteiros com dinheiro, e foque nos mais importantes, como o porteiro gerente e o que cuida da porta. Existe um turnover grande e seus investimentos podem acabar vencidos como opções da vale de 2015. Talvez você nunca tenha reparado neles, mas eles são sempre a primeira impressão do restaurante (e estão em todos os bons), e quando chegar bem acompanhado vai ganhar bons pontos ao ser recebido com uma cara de satisfação.

3) Alfaiate: Esta é uma das pessoas mais importantes para se subornar. Não é incomum ver sujeitos maltratando aqueles que cuidam de sua aparência. Um verdadeiro tiro no pé. Todo homem deveria ter um alfaiate decente e cuidar bem dele - jamais indique seu alfaiate para seus amigos, e isso serve para qualquer outro funcionário que tiver ao seu dispor - para suborná-los, o ideal é levar uma garrafa de Cabernet Sauvignon. Se você fizer tudo certo, com certeza receberá os valiosos pocket squares (lenços) extras. Valem o investimento.

4) Barbeiro: Outra importantíssima pessoa que cuida do seu visual. Felizmente não tenho que me preocupar com isso, tenho o meu contato que faz esse trabalho desde pequeno e como ele é um amigo da família há gerações não preciso me preocupar em comprá-lo. Mas se você ainda não tem, procure barbearias clássicas de homem que saibam cortar ao estilo de Humphrey Bogart em Casablanca e mantenha-se fiel. Não esqueça de levar um vinho no final do ano - ou um Montecristo No.2.

5) Associados: Os mais importantes que trabalham com você devem ser subornados com refeições. Boas comidas e bons drinks. Você paga a conta e eles continuarão trabalhando fielmente para com você. Além disso é bom pra saber o que se passa nas ruas e nos negócios. Nunca perca o contato nem a confiança desses caras.

6) O açougueiro e as meninas do mercado local: Com esse grupo é sempre dinheiro. Vale a pena. As fatias extras de prosciutto, a carne fresca cortada com esmero, e o sorriso da garota que trabalha no Varanda compensam o recurso desembolsado. Basta eu mandar eu uma mensagem e ela já prepara minha comida predileta pra viagem. 50 reais pra cada no natal e você será bem tratado o ano todo. Uma pechincha.

7) Corretores de imoveis ou ações: você já paga demais pra essas caras, eles não merecem a quantia que recebem. Contudo, se abrirem boas exceções e conseguirem um bom negócio pra você, um vinho descente vai fazer a noite deles. Jamais de dinheiro.

8) Policiais: E aqui eu digo policiais corrompíveis, esses caras ganham pouco, mas o que realmente faz eles se tornarem fiéis é uma garota (favores dela, mais precisamente). Garotas só curtem policias em filmes, na vida real elas não sentem atração alguma. Aqui, quero que fique claro que estou falando dos policiais do interior. Nas cidades grandes, a menos que eles estejam sempre perto do seu bairro e você os conheça, não vale a pena. Já no interior, eles podem deixar de atender queixas caso você esteja dando uma festa com patricinhas tocando durante a madrugada toda aquele rap norte-americano que os funkeiros odeiam. Os cops também podem dizer que o sistema está offline se uma dessas patricinhas tentar te passar a perna e alegar que foi estuprada/assediada falsamente. Em caso de emergência, você terá acesso a linha realmente funcional deles e em menos de 5 minutos haverá dois carros de policiais com fuzil prontos pra te defender. Se você tiver dificuldades em conseguir mulheres, a doação generosa pode ser feita com whiskey nas festas natalinas. Por último, mas não menos importante, você estará imune a blitz e à lei seca.

9) Políticos: Outro grupo de alta importância caso você viva no interior, já em capitais - a menos que você seja um magnata - não vale a pena subornar esses caras. A mídia tem dificultado a compra desses importantes stakeholders ao expor milhares de políticos e forçar o fim do foro privilegiado. Contudo, basta você ser bom no timing ou partir para outros métodos. Dependendo da cidade, eles já ganham bebidas demais, caso não, elas são sempre bem vindas e apreciadas, Montecristo No.2, mulheres e refeições fazem parte de um bom conjunto. Seus negócios locais vão fluir como nunca. Se você não entende porque é importante subornar políticos, seus problemas não terminam aí. Caso tenha uma residência no centro onde passam muitos carros e fazem muito barulho, os políticos podem alterar as mãos das ruas acabar com seu problema, valorizando seus ativos. Podem te ajudar com negócios alugando imóveis dos quais a prefeitura é dona à preço de banana. Podem fortalecer o nome da sua família colocando seu sobrenome em ruas estrategicamente importantes. Comece pequeno, e vá gradativamente escalando socialmente com seus contatos. Políticos costumam ter boas informações para quem atua na bolsa, tenha-os do seu lado.

10) Garotas de Programa: Não precisa ser inteligente pra saber porque é necessário subornar as pessoas que cuidam da sua saúde mental e  do seu desapego. Elas são a chave para se manter em um estilo de vida utópico (solteiro, rico e plenamente satisfeito). Não se esqueçam da capacidade que elas tem de reduzir o poder a influência de outras mulheres sobre a sua vida. A partir da terceira vez que se encontrar com uma dessas damas, não deixe de trazer um presente. Depois basta trazer presentinhos a cada 5~8 encontros. O ideal é trazer um Cabernet Sauvignon, Pinot Noir, colar, pulseira, brincos ou outra jóia qualquer da Vivara. É claro que se ela for uma deusa, talvez você devesse dar uma olhada na Tiffany. Esse movimento não só vai garantir que consiga encontrar a garota de última hora sempre que necessário como também vai te dar tempo extra e as transas mais incríveis que um homem pode receber.

Existem outras pessoas que você pode subornar: professores (sejam acadêmicos ou de esportes), farmacêuticos, traficantes (eu ficaria longe deles, mas é seu negócio, vale a pena cogitar), entre outros, as possibilidades vão longe. A arte do suborno precisa ser adaptada ao seu estilo de vida e com o tempo e a experiência você com certeza se tornará um nobre burguês honrado se fizer as escolhas certas. Lembrem-se de sempre carregarem o pensamento do suborno. O mundo gira em torno disso e poucos parecem ter notado.

O resto é com vocês...
Bons ganhos e um grande abraçoo!

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Interior vs São Paulo


Quem acompanha o blog sabe que eu sempre morei em São Paulo e há quase um ano me mudei para o interior de São Paulo. Agora que já estou aqui faz um tempo, posso fazer uma comparação mais madura e ajudar o leitor a conhecer um pouco mais dos prós e contras de se morar em cada um.

São Paulo
Eu particularmente gosto muito de São Paulo. A cidade é incrível, tem tudo o que você precisa e o que não precisa. Pode-se resolver qualquer problema à qualquer hora. Realizar seus desejos. Sair de dia, de noite, de tarde. Todos os dias. O ano todo. Cedo ou tarde vai topar com pessoas extremamente influentes e agradáveis de conversar. A cidade ta sempre funcionando, cheia de energia. Lembro de um dia que eu estava meio desmotivado pra fazer esportes, fui ao Ibirapuera, era uma terça-feira às 9 da noite, estava escuro e bem frio. Quando cheguei lá vi que o parque estava cheio, tinha gente de todas as idades: crianças, jovens, adultos e idosos. Todos correndo, andando de bike, fazendo slackline, fazendo barras, treinando na academia improvisada de concreto, patins, skate... Essa é uma boa imagem que eu tenho da cidade, ela ta sempre se movimentando.

Interior de São Paulo
Como meus avós sempre moraram no interior, quase todas as férias eu viajava pra casa deles. Eu gostava bastante, mas pra ser sincero, passava a maior parte do tempo no computador. Era ótimo dar um tempo da cidade. Com pouco dinheiro já era suficiente pra suprir tudo o que eu queria fazer, como naquela época eu ainda não era um burguês acumulador de patrimônio isso era um fator importantíssimo. A cidade tem menos de 50k de habitantes, e sempre foi extremamente parada. Depois das 20h o trafego diminui muito e depois das 23h já se torna raro ver carros na rua. Pessoas então nem se fala. Tenho a impressão de que ninguém sai de casa aqui, nunca. O comércio fecha às 18h, os restaurantes fecham entre 21h e 00h e depois das 2am não existe mais absolutamente nada aberto.

Prós e Contras

Transporte

O transito em São Paulo é péssimo, a cidade claramente tem um problema de logística e não consegue suportar todos aqueles carros. Estacionar é complicado. Você tem trânsito todos os dias da semana (até de domingo). Enquanto isso no interior a tranquilidade é enorme, até mesmo em horários de pico(se é que eles existem...). Se você gosta de scooters ou motos, isso não vai ser um problema, pra estes transportes a SP vence e tem um asfalto de qualidade muito superior, ainda que ruim. Gasolina é mais barata e melhor. Empresas competitivas forçam o preço perto do limite, enquanto no interior o litro é quase 30 centavos mais caro e a qualidade destrói o motor do carro, além de render menos. São Paulo tem um grande leque de possibilidades: você pode ir de ônibus/metro/táxi/Uber/bike/trem/skate/carona para se movimentar dentro da cidade. Para fora da cidade, ainda existe a opção do avião. O único jeito de alguém do interior viajar internacionalmente é indo para SP. De modo geral, eu deixo aqui o ponto positivo para o interior, visto que o paulistano médio passa cerca de 1 mês inteiro do seu ano parado no trânsito.

Emprego

São Paulo vence. Na capital boa parte das pessoas que eu conheço estão em multinacionais. Trabalham em grandes empresas dos mais diversos setores: bancos, farmacêuticas, tecnologia, etc. A oferta está sempre em alta, enquanto isso no interior só existem subempregos e mesmo que você seja capaz de abrir seu próprio negócio dificilmente terá um sucesso grande, já que a renda per capita é 5x menor que a renda per capita do paulistano. Aqui não existe nem argumento. Não da pra comparar. No máximo da pra dizer que as pessoas não são tão estressadas, mas elas trabalham o mesmo número de horas e ganham muito menos. Os melhores cargos no interior são bancários, médicos, odontólogo e administradores. Ainda assim, são inferiores e ganham menos.

Festas

Em São Paulo tem de tudo. Sempre tem festas épicas, principalmente de faculdades. Você pode escolher a que você preferir de uma lista enorme de eventos. Tem também bares, e diversos bairros festeiros pra sair no final de semana. No interior, quando tem, é uma merda, sempre. O gado gosta, mas ele gosta de tudo. Pra vocês terem noção as pessoas se arrumam para ir na feira, no cinema e no restaurante. O paulistano médio não conseguiria suportar tamanho choque de qualidade dos eventos.

Preços

No interior (quase) tudo é muito mais barato. Comer fora. Sair pra festas. Academia. Mercado. Clube. Aulas esportivas. Tirar carta. Aluguel...
Exemplos: 
- Comer massa em um restaurante italiano sai 17 reais para duas pessoas, ou seja R$8,50, com bebidas não passa de R$13, em SP seria fácil uns R$30;
- Hambúrguer gourmet premium de costela em um foodtruck R$17 em SP seria uns R$40 fácil;
- Academia R$20, em SP R$ 60;
- Boxe R$ 40 (5x por semana), em SP R$120 (2x por semana);
- Casa com 3 quartos, 2 banheiros, 1 garagem pra 3 carros, sala e cozinha NO CENTRO R$800/mês, em SP seria mais de R$3 mil com certeza.
Enfim, as únicas coisas mais caras são combustível e produtos de mercado industrializados como cerveja/doces/etc. De modo geral o custo de vida do interior é ínfimo. Com R$1.000,00 ao mês da pra viver. Com R$2.000,00 da pra imperar.

Educação

Hoje da pra ser autodidata e aprender tudo pela internet. A cidade do interior é cheio de pontos wi-fi distribuídos em praças, casas e estabelecimentos, mesmo assim o povo consegue ser retardado. Digo isso com tristeza, mas no interior as pessoas são burras, extremamente estúpidas. Poucos escapam e possuem uma inteligência superior, mas a maioria é realmente idiota de modo que não da pra conversar. São cabeça fechada e muito mais arrogantes que o paulistano. É o gado na forma mais inútil. Não tem nem como estimular eles, são uma causa perdida. Não há faculdades boas, as melhores estão em cidades universitárias, fazendo com que aqueles que querem estudar tenham que sair da cidade. Boa parte sai, outros pegam ônibus fretados que vão e voltam todos os dias(aí talvez já compense mais o trânsito de SP). As escolas particulares são ruins (bem inferiores às paulistanas), contudo, as escolas públicas são infinitamente melhores que as paulistanas, mas, perdem para as públicas do interior. Ou seja, na minha opinião: escolas particulares paulistanas > abismo > escola particular interior > escola pública interior > escola pública paulistana. Obviamente estou generalizando, sempre existem exceções, mas de maneira geral isso se aplica.

Sotaque

O sotaque dos habitantes do interior de São Paulo não é legal. Na verdade é péssimo. Mesmo eles sabendo que o sotaque deles é horrível e serem meio complexados com isso de modo que sempre deixam escapar: "ahh eu falo errado mesmo", "nois falamo assim e pronto" "falo tudo junto e puxo rrr memo", entre outras frases clássicas de quem quer atacar para defender seu ego. Eles ainda não gostam quando um deles começa a falar mais paulistano. Certa vez um amigo meu foi conhecer São Paulo e quando voltou estava falando muito parecido com os paulistanos, foi incrível ver que todo mundo atacava o sotaque dele. Eu nunca entendi o porque, só deixou mais claro que o complexo que eles possuem é real.

Violência

Aqui é onde o interior humilha a capital. Ainda que São Paulo seja a capital menos violenta do Brasil, a cidade está longe de ser segura. No interior eu nunca vi uma arma, nunca conheci ninguém que tivesse sido assaltado nem nada do tipo. Existe o crime, normalmente é bem ligado ao tráfico de drogas, e pequenos roubos (trombadinhas pegando celulares de maneira sorrateira em festas). Existem brigas em festa, mas também são poucas. O maior perigo aqui são estradas e ruas durante a madrugada nos finais de semana. De resto, pode dormir até com a janela aberta, pra vocês terem noção, não é raro eu sair de casa 3 da manhã pra passear com meu dog, ou ir à praça com meu notebook utilizar o wi-fi público para escrever para burgueses de todo o brasil. Em SP nem preciso dizer. Virtualmente todos os meus amigos já foram ou conhecem quem foi assaltado a mão armada. Eu mesmo já fui.

Tinder

Em SP eu fazia a festa no Tinder. Usando um raio máximo de 12 km nunca acabava o número de mulheres para conhecer, todo dia tinham novas pessoas. Eu costumava dar 1~5 matches ótimos por semana consistentemente. No interior em 3 dias eu esgotei um raio de 60 km, Se consegui 20 matches em 6 meses foi muito. Puro lixo.

Mulheres

Tema difícil. Em SP existe um número muito maior de mulheres bonitas e um bom número de mulheres incrivelmente bonitas. No interior existem poucas bonitas e nenhuma incrivelmente bonita. Por esse motivo as bonitas são bem mais exigente e chatinhas. Claro que da pra pegar, mas em SP é muito mais viável. As medianas e submedianas são do mesmo nível em SP ou no interior, tanto faz. De maneira geral, as mulheres que eu pego no interior são menos bonitas do que as paulistanas, mas mais fáceis de levar pra cama. Bem mais fáceis. Eu prefiro SP. - Não vou nem entrar na falta de classe das meninas do interior, se você preza por isso e não conhece o interior, quando conhecer vai se decepcionar.

Mercado

O mercado de SP é muito mais maduro, tem uma variedade enorme pra todo tipo de produto. No interior não tem nada, contudo, por sorte existe a internet, mas os produtos vão demorar um tempinho pra chegar, ainda mais se contar com a ineficiência daquela empresa lixo que é o Correios. Mesmo assim, não da pra comparar, ainda mais quando você morou por anos e sabe onde encontrar o que quer, direto em SP eu dava um pulo na zona cerealista pra comprar uns chás pra academia, ou numa loja de esportes pra comprar o que eu precisava por um bom preço. Se quisesse uma cerveja diferenciada ou um vinho especial também era só ir ao mercado que tinha de tudo. No interior não existe nada disso e o que existe possui uma variedade minúscula.

Localização

Em SP eu morava meio longe de tudo, tanto porque o m2 era mais caro, quanto porque era bom ter um pouco de ar puro e sossego pra dormir. No interior a minha casa fica no centro, pertinho de tudo e, na minha opinião, todo mundo mora no centro. É tudo pertissímo: mercado, clube, casa de amigos, restaurantes. Da pra ir a pé ou de bike facilmente.

Cultura e Comunidade

No interior as pessoas gostam mais do lugar de onde são. Possuem orgulho. Boa parte ama sua terra e sempre que sai pensa em voltar. Quanto à cultura eu não sei dizer, eles não possuem tantos indícios de cultura quanto em cidades do interior europeias (o próprio sul brasileiro tem essa característica), o máximo que eles fazem aqui é tombar propriedades antigas, tombar ruas lixosas de paralelepípedo, construir pracinhas e colocar bustos de comandantes do exército que viveram 200 anos atrás. Em SP você tem muitos museus, parques, feiras e eventos ligados a cultura. Aqui não. Eu não acho que seja por causa do tamanho da população, acho que seja por causa do desinteresse da população. Por outro lado, eles são bem engajados em proteger a natureza em volta da cidade, pelo menos parte da população é.

Outros Pontos

Falam Demais

Uma coisa que  tive que me acostumar, é com a mania das pessoas de comentar sobre absolutamente tudo o que acontece com a vida alheia. No dia seguinte todos sabem de tudo. Em SP ninguém é ninguém e ninguém está nem aí pra ninguém. Você pode fazer o que quiser, onde quiser. Talvez até encontre um ou outro conhecido, mas a menos que seja um evento de "bairro"é bem improvável, e mesmo que aconteça, dificilmente essa pessoa vai espalhar boatos ou ficar falando da sua vida. No interior todos se conhecem, todos se encontram e todos comentam sobre tudo, sendo verdade ou não, boa parte dos boatos são puras invenções. Essa é de longe a coisa que mais me irrita no interior.

Quantidade de Capital Necessária

Mais acima falamos dos preços. No entanto, os preços não são a única coisa importante quando se trata de dinheiro. Existe também o valor necessário para que você se sinta bem. No interior, ter um carro de R$ 35 mil já é mais que suficiente, enquanto na capital, nem fodendo. Ainda mais se você frequenta bairros como Alphaville, Jardins, Itaim. Para que você se sinta BEM no mesmo nível do interior é necessário ter pelo menos uma BMW. No interior um New Fiesta 2014 de 35 mil seria considerado um dos carros tops da cidade, com uma BMW série 1 já da pra imperar.

Moto > Carro

Eu prefiro carro do que moto, e todo paulistano que conheço também. No interior existe uma coisa muito estranha, as pessoas curtem mais moto. Elas são apaixonadas por motos 600cc ou mais. Não importa a idade. Homens e mulheres de 15 a 40 anos. Nunca entendi o porque. Já perguntei mil vezes, já fiz quase que uma "pesquisa de marketing" de tantas perguntas que fiz pra tantas pessoas diferentes, mas aparentemente elas só gostam e é isso. Não sabem explicar. Talvez a dificuldade esteja no tópico que eu escrevi lá em cima: educação.

Inveja

Se por um lado as pessoas gostam de andar de BMW e de Hornet (kkkk). Por outro elas não gostam que você tenha e elas não. Em SP, meus colegas e amigos, sempre torcem para que seus colegas e amigos conquistem coisas legais e de valor. Quando alguém surgia com um "apê" novo, um carro legal, histórias sobre viagens pra fora, entre outras coisas. Todo mundo gostava de ver/ouvir e dava os parabéns. Afinal, não importa se o cara vai gastar ou aportar, cada um faz o que quiser com seu dinheiro. No interior não. As pessoas sentem uma inveja de morrer, já ouvi casos de gente que pediu pro cara tirar o carro da frente da casa para que os pais não ficassem mal por isso. Esse tipo de caso é raro, mas acontece. Inveja doentia. O mais comum é o pessoal ficar te "testando". Acontece sempre.

Quase Não Existem Amigos

Em SP fiz grandes amigos. Amigos que já me emprestaram dinheiro, me convidaram pra morar com eles quando eu saí de casa,  me defenderam e entraram em brigas por mim em festas que deu problema, que me apoiaram quando perdi familiares, que me convidavam pra sair e até pagavam a conta do jantar quando eu estava sem grana. Amigos pra todas as horas. No interior os casos assim são extremamente raros. As pessoas crescem juntas, saem juntas, frequentam a casa um do outro, mas basta aparecer uma mulher no ambiente que eles já começam a se jogar uns contra os outros pra tentar aparecer mais. Chega até a ser feio.

Estilo

As pessoas não percebem a importância do estilo. Elas não perceberão se você estiver bem arrumado, tal como não vão reparar na estrutura da sua casa. Elas olham apenas o principal. Suspeito que talvez elas consigam discernir o que é melhor de o que é pior, mas não tenho certeza. O fato é que mesmo que você tenha a melhor combinação de roupas do mundo, provavelmente eles não vão sacar seu estilo. Não vão entender e talvez até te achem estranho - ou pior, talvez nem reparem... Os estilos que eles sacam e percebem são os mais adotados pelos descolados da cidade, todos se vestem e ajem de maneira semelhante.

Música

Tal como estilo, aqui só tocam as mesmas músicas em todos os lugares. São músicas que foram lançadas há cerca de 6 meses e chegaram no interior recentemente. Contudo, se você tocar uma música de 12 meses atrás eles vão te julgar por achar que ela é velha. Eu ouço o que eu curto a maior parte do tempo - um rap norte-americano ou um bom jazz. Mas é claro que se aparece um grande grupo de gado rapidamente coloco um funk de 6 meses atrás e todo mundo adora.

Aqui estou falando de um jeito geral, espero que vocês compreendam que não é uma situação fixa. Com certeza você pode e vai ter opiniões diferentes. Por isso não deixe de visitar o interior, tal como não deixe de visitar a cidade de São Paulo. Contudo, depois que se certificarem de que estou certo mais uma vez, deixem suas opiniões nos comentários.

O resto é com vocês...
Bons ganhos e um grande abraçoo!