Menu

quinta-feira, 19 de maio de 2016

Como anda a moto do Burguês?


Puxa vida, me lembro como se fosse ontem do dia em que escolhi minha moto. Todos ao meu redor diziam que eu tinha feito um mal negócio e estava arriscando minha vida por besteira. A verdade é que eu não gostava da ideia de ter moto também, mas gostava menos ainda da ideia de ser um escravo do meu carro. Hoje, pouco mais de um ano depois, percebo que aquela foi uma das melhores escolhas que eu já fiz na minha vida pessoal e financeira. Sem a moto, eu não teria emprego, meu patrimônio ainda estaria negativo, eu não teria progredido fisicamente(regredido talvez?) pois não conseguiria ir na academia com frequência e estaria completamente arrependido.

A moto não é muito confortável e, embora eu odeie admitir, vez ou outra sinto uma certa vergonha de ir em alguns lugares pelo modo como as pessoas encaram com olhar esnobe uma scooter como a minha. Parece que elas veem como um brinquedinho de plástico.

Independe disso, ela tem sido uma verdadeira mão na roda, e tem uma maravilhosa média de consumo histórica de 41km/litro. Sempre tem vaga, nunca tem trânsito. Tem um espaço legal para guardar coisas embaixo dela. Não pago pedágio. Não é visada, por isso não pago seguro. Outra alegria é pagar o IPVA. 107 reais anuais. Encher o tanque com gasolina aditivada sai por R$18,50. A manutenção média a cada 4 mil km sai por cerca de R$ 300,00 incluindo troca preventiva e mão de obra.
Abaixo seguem informações mais precisas:
  • Resumo dos últimos 30 dias: 
  • Consumo de KM/L:
  • Gasto total desde a compra(fev/2015 a mai/2016):

Abastecimentos: inclui gasolina, ou gasolina aditivada
Manutenções: Inclui TODOS os gastos com concessionária, eu sempre faço tudo  o que precisa, e costumo trocar as coisas de com antecedência, sendo essa a manutenção preventiva, de acordo com o manual.
Despesas: Inclui o preço da moto, despachante, documentos, jaqueta, 2 capacetes, calça de chuva, polaina, descanso lateral, antena corta-pipa, impostos, as luvas e o seguro que eu havia fechado no primeiro ano.

Como podem perceber, os meus gastos com a moto tendem a cair vertiginosamente daqui pra frente, e se manterem próximos da tabelinha dos últimos 30 dias, visto que as despesas foram quitadas.
O engraçado da minha moto, é que vez ou outra, quando checo os preços da tabela FIPE, vejo que ela teve uma valorização. Eu paguei R$6.290,00. E hoje, uma semelhante a minha está em torno de R$6.100,00. Não pretendo vende-la, soube que ela banca facilmente 70 mil quilômetros rodados. Em alguns casos já chegou em 130 mil.

Como ficarei de férias em julho, o baixo custo para me transportar com a moto será de grande ajuda, estou cogitando até fazer algumas viagens com ela. Se eu fizer, relatarei pra vocês.

Bons ganhos e um grande abraçoo!

13 comentários:

  1. Moto geralmente é uma boa aquisição, enquanto carro geralmente é o oposto.
    Lembro anos atrás que eu gostava muito de motos e quase comprei uma RD 135, moto que sou apaixonado e ainda quero ter uma, mas tive que comprar um PC pra fazer trabalhos de faculdade.
    Moto é eterna cara, só retificar pra sempre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Na maioria das motos não dá para inverter devido aos pneus terem medidas diferentes. E na verdade é uma economia de migalhas.

      Excluir
  2. Burguês, o que acha da PCX 150? Tenho vontade de comprar uma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho excelente!

      Eu fiquei entre a Lead e a PCX quando fui comprar a minha, mas na época eu não tinha dinheiro nenhum! A PCX saia por R$ 9.350,00 e a Lead por R$ 6.290,00. O consumo é igual, a pcx é maior, mais potente, mais bonita e tem algumas peças de reposição ainda mais baratas. Mas como eu precisava literalmente ir de A para o ponto B fui calculista nos pensamentos e vi que a PCX era 50% mais cara, mas não me traria 50% a mais de benefícios.

      Hoje provavelmente eu escolheria a PCX, mas ainda acho que considerando o contexto, a Lead foi uma escolha melhor pra mim.

      Boa sorte com a compra Self-Made!
      Espero que siga em frente com a idéia, pois tenho certeza que não vai se arrepender. Economicamente é só alegria.

      Abraçoo!

      Excluir
  3. Ola BI,

    Aqui na minha cidade e comum a galera ir trabalhar nestas motos, de terno e tudo mais, pois sao economicas e nao param nos congestionamentos.

    Eu ate gostaria de ter uma moto, mas sou medroso, ja vi muitos acidentes e tenho que pegar muito as BRs, transito mais rapido.

    Realmente moto e muito economico, ainda mais este modelo.

    Abraco

    ResponderExcluir
  4. Jan relatei sobre a minha. A vantagem é que é alta, tenho visão acima dos automóveis e enfrento até ruas alagadas. Buracos, lombadas, meio fio, nem sei oque é isso.

    Esta usando o App que indiquei, muito bom mesmo e o melhor que independente do celular, ele guarda seus dados devido ao login.

    Na vida o ganho é proporcional ao risco. Moto realmente é super arriscado, mas se o condutor não andar feito um louco, indo na maciota, atento a tudo e a todos; dificilmente acontece algum acidente.

    ResponderExcluir
  5. Vou considerar comprar uma moto, mas o fator acidentes é que tenho medo.

    Jota

    ResponderExcluir
  6. Minha suzuki 150 fez 38,5km com litro. Rodei 388km e abasteci deu 10 litros. Ando 50km por dia. Gasto 140,00 no mês. De carro seria 280,00.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente!
      É mais que o dobro do valor voltado para a mesma satisfação.
      Qual Suzuki é a sua Lucas?

      Excluir
  7. Fala Burgues, blz?Sei que isto é contra os principios de um aportador, mas estou pensando em pegar uma moto 0km. Vou vender minha fazer 250 e quero pegar uma nova. Novamente sei que é contra o aporte, mas eu iria pagar em 36x e teria uma moto que eu ficara com ela até acabar.

    ResponderExcluir