Menu

segunda-feira, 18 de abril de 2016

4, 8, 15, 16, 23, 42


Eu desde pequeno tive uma personalidade pró construção, sempre quis e gostei de construir coisas grandiosas. Eu achava que era comum, até que um amigo meu de longa data me classificasse como megalomaníaco enquanto relembrava meus feitos.


Quando eu tinha 8 anos me propus a fazer kung fu, pois sempre fui fã do bruce lee. Parei aos 11 quando venci pela 3a vez o campeonato paulista de katis.
Certas vez, ainda com uns 10 anos, minha mãe me desafiou a tomar um banho de água gelada por um dia, e como eu era todo boyzinho e estava acostumado com a água quentinha todos acharam que eu não bancaria. Estavam enganados. Tomei somente banho gelado durante 90 dias, incluindo durante um forte inverno, o engraçado é que eu sofria, meu corpo contraía fortemente como se fosse a primeira vez, mas de certo modo curtia aquele sofrimento.

Ai veio a época dos computadores, comecei a gostar deles e passei a me apaixonar por todo aquele complexo mundo da computação. A imersão em tudo isso me tornou um autodidata nato. Lembro até hoje do dia em que comecei a mexer no mouse, eu era péssimo. Fui melhorando exponencialmente até vencer campeonatos de counter-strike, costumeiramente figurava nos top 30 dos servers da UOL. Já cheguei até a fazer entrevista para uma rede de lan houses forte na época e sai na revista deles.



Mas não parou por ai, comecei a jogar Tibia e decidi que ia pegar level 100, pra quem nunca ouviu falar, é (ou pelo menos era) uma tarefa extremamente complicada. Como raciocínios extremamente objetivos e disciplina eram necessários demorei um pouco pra chegar lá, ainda tenho o meu personagem, considero ele um troféu, sou level 141, para conseguir eu tive que aprender, aos 13 anos, programar em .lua. Fiz scripts para um bot completamente sozinho para uma conta auxiliar onde o programa ficava 24/7 ativo. Ele abria a minha conta, entrava no personagem, ficava caçando, juntando grana, voltava, depositava pra minha conta principal e ai entrava no próximo personagem, e repetia o processo. O meu inglês se desenvolveu muito, e em 6 meses me tornei o mais rico do server e tinha uma casa ostentadora que valia em reais hoje, pelo menos 12 mil, mas na época nem ligava pra dinheiro. Somando o valor de tudo incluindo as contas, hoje seriam pelo menos 20 mil reais.


A magia do PC continuou a me encantar, mas dessa vez foi pelo hardware, aos 14 anos comecei a mexer com a CPU/GPU, formar clusters, fazer overclock, e aquilo foi muito longe. Fui melhorando ainda mais meu inglês pelo 4chan com os profissas de pc da época, e o meu vício só não foi pra frente porque não tinha dinheiro e meus país começaram a me "proibir" de avançar nele. Para se ter uma ideia, o meu último projeto foi um PC resfriado com radiador de carro adaptado, algo menos potente teria fritado completamente o sistema. Meu cérebro parecia uma máquina nessa época, fazia cálculos de física que hoje não sei fazer, como transformar graus em fahrenheit, calcular a energia necessária para as placas e o custo que isso resultaria na minha conta de luz, mesmo nem sendo minha obrigação paga-lá.

Como consequência da computação hacking se tornou um hobbie, a primeira vez foi na escola, percebi que eles usavam um sistema chamado VNC e a versão antiga a senha ficava "aparente" em forma de asterisco, não deu outra, baixei de um site conhecido um aplicativo que era capaz de exibi-las. A senha era springer (o nome da marca do ar condicionado), passei a senha para todo mundo da sala, e logo todos estavam hackeando uns aos outros, foi divertido. Quando surgiu o twitter, surgiram também vários sites para "ganhar seguidores", achei uma falha em um deles e consegui atingir 46 mil seguidores em 1 mês. Mais pra frente, ao entrar na faculdade, advinha que programa usavam para controlar o pc dos alunos?


O tempo passou, a puberdade chegou e comecei a me interessar mais por mulheres, mais do que deveria, pois mesmo antes disso já tinha dado alguns amassos. Isso me incentivou a começar a academia aos 15 anos e, em pouquíssimo tempo, me transformei no paranoico da família com alimentação e descanso. Logo na minha primeira semana comprei um livro do Arnold Schwarzenegger chamado Enciclopédia de Fisiculturismo e Musculação, terminei de ler as 750 paginas em duas semanas pois queria ter uma base boa. Passei a desenvolver meus métodos e completa-los com outras matérias que eu tinha aprendido na escola, lendo sobre biologia, física, química e nutrição. O limiar foi me pesar diariamente, anotar no Excel e recalcular os nutrientes, além de combar Cobavital com whey, creatina, BCAA, e uma alimentação proteica diversificada por mais de um ano consecutivo. Ganhei 11 quilos nos primeiros 12 meses, não suficiente, perdi 2 de gordura, o que resulta em 13kg de massa muscular. Hoje basta alguém me oferecer um alimento que os cálculos começam a se fazer sozinhos e eu fico pensando na produção de hormônios, síntese proteica, queima de gorduras, sensibilidade da insulina, isso já está fortemente internalizado em mim.
 Agora chegou a épocas das finanças...


E vocês, quais limites já alcançaram?
Bons ganhos e um grande abraço!

9 comentários:

  1. Olá BI!

    Bacana a sua história.

    Nunca fui um gênio, mas era bom em algumas coisas.

    Também fiquei fascinado pela informática, quantas noites lendo sobre, visitando sites, aprendendo vários comandos do DOS, tentando se tornar um hacker.

    Aprendi a programar lendo um livro de C++, que eu andava para todo lado com ele.

    A biblioteca pública era um mundo fascinante, eu ficava perdido com tantos livros bons para ler, e bastava eu assinar e poderia levar para casa, eu gostava demais de estudar.

    Counter Strike me lembra as lanhouses, você ia e sempre tinha gente jogando, os corujões que fiz, era muito bom.

    Mas aí ...

    Como não nascemos ricos, temos que começar a trabalhar.

    No seu caso, veja bem, quanta coisa você sabia, você poderia ter inventado coisas, feito mudanças, quebrado paradigmas.

    Aí começamos a trabalhar, faculdade, e todo nosso tempo é sugado, e quando temos tempo de folga só queremos dormir e descansar.

    Bons tempos!

    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Boa Burguês, vc é vencedor pakaralho! Eu já tive pequenas vitórias, já passei numa classificação excelente numa seleção para uma escola federal, já ganhei alguns pequenos torneios de natação na época que era competidor (mas nada perto das suas vitórias), e algumas premiações acadêmicas nacionais na minha área.

    Essa última, tive que lutar e permanecer motivado 2 anos seguidos de dificuldade. É incrível o poder que metas têm na nossa mente, quando as buscamos verdadeiramente. Eu já fiz um post sobre isso: http://jogodomilhao.blogspot.com/2016/03/ter-metas-nao-so-e-importante-mas-torna.html

    Você parece ter uma vantagem muito grande, que é ser um cara focado. Eu já fiz um pouco de algumas coisas que vc já falou: Kung fu, Computação (trabalho com isso), esporte, mas nunca fui tão adiante seja por circunstâncias, seja por falta de foco, acabo me envolvendo com outro projeto e não terminando direito o anterior. Isso é péssimo.

    ResponderExcluir
  3. Pô não sei...
    Eu participava de tudo e nunca fui o cara de uma coisa só, eu representava a escola em campeonatos, seja de matematica, xadres, futebol e handebol, alguns eu era reserva (cheguei a ser reserva do reserva no handebol durante um tempo) em outros eu era titular, mas como fazia tudo não tinha como me destacar muito, pratiquei taekwondo, mas mal tinha tempo (grana) para a roupa muito menos para subir de graus então desisti, na mesma epoca também participa de grupos de dança e tocava violão, creio que na area musical tive mais destaque pois acabei entrando na banda da igreja no lugar do baixista que tinha saido e logo peguei o instrumento para mim e participava dos eventos, dentro e fora da igreja (casamentos, grupo de jovens etc...) depois na faculdade toquei um tempo com o pessoal mas nada que foi para frente com shows.
    Porém hoje o que mais me ajudou foi a matematica pois consegui uma bolsa numa top privada aqui em SP e dança pois sempre acabo dançando em eventos sociais, seja ele forro sertanejo ou passinhos de hip-hop simples (além das zueiras da dança do Carlton que aprendi na epoca).
    Obrigado pelo texto, tenho que me concentrar em objetivos, estou parado agora e não posso deixar a vida me levar. valeu e sucesso.
    Jota

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falaa Jota!

      Eu é que agradeço pelo comentário!
      Mas isso é muito bom! Vou ver se faço um post semana que vem sobre conhecer varias coisas, e tornar-se um homem completo ao invés de ser um mero especialista.
      Fico feliz também de ver que você está em uma universidade top!

      Bons ganhos e um grande abraçoo!

      Excluir
    2. Fala Burguês, seria legal falar sobre isto, sobre a faculdade não muda muita coisa, o melhor é que você tem um currículo mais valorizado. Termino no fim do ano, tentei até prolongar a faculdade pois como trabalho na área de seguro e previdência ela sofreu logo em 2015 com a crise, aparece emprego porém é longe, paga mal e tenho que pagar aluguel é complicado ja fiz isto mas não rendeu nada pois você gasta muito e sofre pois o que você fazia em família faz sozinho, na época sai com 18/19 anos foi tenso, hoje seria diferente mas nos primeiros 6 meses foi difícil, poderia colocar sua visão de como é para você num post futuro.

      Eu decidi estudar idiomas, investimentos entre outras coisas nesse tempo creio que voltarei a trabalhar somente no fim do ano isto se a economia não for pro buraco de vez.

      Caso ocorrer estou vendo de ir para o canada, pois com diploma e um nível legal de inglês e francês creio que dá para ir, só tenho que ajuntar dinheiro, nisto irei dar um olhada após aprender o francês pois parece que Quebec é necessário o idioma, tenho que ver o detalhes com a imigração.

      Abraço e sucesso.

      Jota

      Excluir
  4. Nunca fui tão gênio quanto vocês, mas já invadi PCs da escola para roubar provas (o engraçado é que eu nao olhava a prova, queria só saber se conseguiria). Já programei altos .bat na época do MS-DOS, e tbm tive a época de jogar MUD (é um tibia sem gráficos). Mas o que mais me chama a atenção é que quando criança eu sinto que era MUITO mais inteligente e criativo que hoje. Vocês tbm sentem isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim amigo, tenho o mesmo sentimento.

      Eu penso que e devido as responsabilidades de adulto e o cansaco acarretado pelo trabalho.

      Vejo que a cada dia, a cada ano, tenho menos vontade de botar a mao na massa e fazer, prefiro delegar tudo.

      No meu trabalho, por exemplo, eu sempre fiz as especificacoes dos sistemas novos, este ano vou contratar alguem pra fazer, mesmo sabendo que eu teria tempo pra fazer eu mesmo.

      Abraco

      Excluir
  5. colocar o titulo como o número do lost foi fodah...
    bem loco burgues.

    abraço

    ResponderExcluir
  6. Porra Burgues!!! Me identifiquei totalmente com esse post!!
    Eu sou exatamente assim, e passei por quase exatamente as mesmas fases.
    Eu costumo falar que eu sou um "viciado em vícios".
    Sempre tenho um, o vicio atual é investimentos/financias.
    Abraços!

    ResponderExcluir